Fortaleza não aparece no top 10 das cidades mais violentas do Ceará

http://cf.datawrapper.de/LqcYm/1/

Nos oito primeiros meses de 2013, Itaitinga registrou 45 assassinatos, o que representa uma taxa de 1,25 homicídios por mil habitantes. A maior taxa do Ceará. Fortaleza, com seus 1254 homicídios, fica na 14ª posição, com uma taxa de 0.51 homicídios. Abaixo, um mapa feito pelo Ernesto Molinas com a taxa de homicídios de município cearense. 32 cidades não registraram assassinatos. Salta aos olhos os altos níveis de violência no Baixo Jaguaribe e baixos índices do litoral de Camocim e Acaraú.

http://www.arcgis.com/home/webmap/templates/OnePane/basicviewer/embed.html?webmap=5f0093fe54bf486ca71b63d5bc65f760&gcsextent=-44.7081,-8.7334,-33.2164,-2.0873&displayslider=true&displaylegend=true&displaydetails=true&displaysearch=true
Visualizar Mapa Grande

Em valores absolutos, Fortaleza aparece soberana em primeiro lugar, com uma média de 5 homicídios por dia em 2013 e com sete vezes mais homicídios do que o segundo colocado.

http://cf.datawrapper.de/HU7i5/1/

Fortaleza tem a pior evolução no IDHM entre todos os municípios cearenses

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgou na segunda-feira (29) o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) das cidades brasileiras. O IDHM vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano; quanto mais próximo de um, melhor. O Pnud classifica como “muito alto desenvolvimento humano” índices entre 0,8 e 1. A seguir a classificação com as maiores (e as menores) evoluções entre os municípios do Ceará em Educação, Renda, Longevidade e o IDHM geral, que leva em consideração as categorias anteriores.

Dona do melhor IDHM do estado, Fortaleza viu a diferença para os demais municípios do Ceará cair consideravelmente nos últimos 20 anos. A capital do estado teve a pior evolução no IDHM, crescendo 38%, de 0,546 para 0,754. Em 1991, Fortaleza tinha o único IDHM considerado “baixo” (0,5 a 0,599), todos os demais 183 municípios eram classificados como “muito baixo” (0 a 0,499). Em 2010, todavia, quatro cidades figuravam na categoria IDHM “alto” (0,7 a 0,799): Fortaleza, Sobral, Crato e Eusébio. 131 cidades possuem IDHM considerado “médio” e 49, “baixo”. Nenhum município cearense fica na faixa do “muito baixo”.

http://s3.datawrapper.de/B3ZQq/

http://s3.datawrapper.de/KiXzi/

http://s3.datawrapper.de/EuT1s/

Graça obteve o maior crescimento nesses 20 anos, fulgurosos 282%, saltando da última colocação para a 176ª. Ou seja, agora Graça tem o nono pior IDHM do Ceará. Um dos municípios que conseguiu subir mais colocações no IDHM foi Jijoca de Jericoacoara, da 181ª para a 23ª posição.

http://s3.datawrapper.de/RjxZG/

Fortaleza também aparece na última colocação entre os 184 municípios cearenses no IDHM Educação. A variação de IDHM foi de 89%. Ipaporanga foi a cidade que mais evoluiu, 2711%.

http://s3.datawrapper.de/cRDou/

Fortaleza se recupera no IDHM Renda e sobe para a penúltima posição, com evolução de 15%. Pacujá fica na lanterna com 4%. Entre 1991 e 2010, Tarrafas registrou um crescimento de 91% na renda média mensal por pessoa.

http://s3.datawrapper.de/Qvsn1/

Mas é no IDHM Longevidade que Fortaleza sai da rabeira. A capital aparece na 166ª colocação, com evolução de 20%. Umari registrou o maior crescimento no quesito esperança de vida ao nascer: 54%.

http://s3.datawrapper.de/9uOlF/

Ceará tem 9 municípios entre os 200 mais violentos do Brasil

Semana passada foi divulgado o ‘Mapa da Violência 2013: Mortes Matadas por Armas de Fogo’. O estudo afirma que de cada três mortos por arma de fogo no Brasil, dois estão na faixa dos 15 a 29 anos. Para além dessa manchete, o relatório traz bastante informação.

A Folha de S. Paulo deu destaque ao fato de o Brasil ser o país com mais mortes por arma de fogo, dentre os 12 países mais populosos do mundo.

Brasil lidera ranking de mortes por arma de fogo

O Globo, por sua vez, fez um infográfico com o ranking da taxa de óbitos por arma de fogo a cada 100 mil habitantes, por UF.

taxa de óbitos por arma de fogo a cada 100 mil habitantes, por UF

A própria pesquisa traz um gráfico da taxa de óbitos, nas capitais, por arma de fogo a cada 100 mil habitantes.

Taxa de óbitos por arma de fogo, nas capitais, a cada 100 mil habitantes

O estudo enumera ainda as taxas médias entre 2008/2010 de óbitos por arma de fogo nos municípios com mais de 20.000 habitantes. Nenhum município cearense aparece entre os 100 primeiros, mas nove cidades constam entre 100-200. A partir dos dados do relatório, listei também as 11 localidades do estado com maiores taxas médias de óbitos por arma de fogo entre 2008/2010.

Ceará tem 9 municípios entre os 200 mais violentos do Brasil