Tuítes sobre o VMA 2013 são mapeados

http://cf.datawrapper.de/5WRsQ/1/ Via

Simon Rogers mapeou as tuitadas ao redor do mundo durante o VMA 2013. Segundo Rogers, o Topsy calculou que 10% das conversas no Twitter no domingo à noite (25) eram sobre o evento da MTV. Esse número subia para 36% se o recorte fosse apenas os Estados Unidos. Pena que no mapa não é possível ler cada uma das tuitadas.

http://simonrogers.cartodb.com/viz/7a9c4ed8-0e1f-11e3-a26a-5404a6a69006/embed_map

Mapa localiza origem de discursos de ódio nos Estados Unidos

A pesquisadora Monica Stephens, da Universidade de Humboldt State, utilizou tweets georreferenciados para determinar o local de origem de discursos de ódio nos Estados Unidos. Os dados – mais de 150 mil tweets – foram recolhidos entre Junho de 2012 e Abril de 2013. Após uma varredura feita por um algoritmo em busca de palavras-chave, os tweets foram avaliados pelos alunos de Stephens, que os classificaram. Os considerados negativos aparecem no mapa de calor.

Mapa do discurso de ódio nos EUA

Via

75 contas para seguir no Twitter

O jornalista americano Kevin Schaul reuniu em uma lista dezenas de profissionais que trabalham com Jornalismo de dados. Pena que só tenha um ou dois jornalistas fora do eixo EUA-UK.

Fazendo uma rápida busca lembrei de alguns nomes da América Latina que vale a pena seguir também: Sandra Crucianelli, José Roberto Toledo, Fabiano Angélico, Ricardo Poppi, Marcelo SoaresGustavo Faleiros, Miguel Paz, Pedro MarkunRicardo Mendonça e Maurício Maia. Sei que tem muito mais gente, porém só recordei desses nomes.