Roubo de veículos cresce 41,6% no 1º bimestre de 2013 em Fortaleza

O roubo de veículos em Fortaleza em janeiro e fevereiro de 2013 é 41,6% superior em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os dados divulgados na quarta-feira (27) pela SSPDS, foram 986 ocorrências este ano ante 696 nos dois primeiros meses de 2012. O furto de veículos também cresceu, de 408 para 444. A SSPDS “inclui todos os tipos de veículos motorizados, tais como: automóvel, motocicleta, caminhão, caminhonete, motoneta, entre outros.”

Roubo e furto de veículos

O Centro foi o bairro com mais furtos em 2013 e em 2012, seguido pela Parquelândia. Este ano 43 bairros não tiveram nenhum veículo furtado, enquanto ano passado foram 41. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

Furto de veículos

35 veículos foram roubados em localidades não identificadas este ano ante 10 em 2012. 13 bairros não tiveram nenhuma ocorrências de roubo em janeiro e fevereiro de 2013, enquanto ano passado foram 18.

Roubo de veículos

Quando somamos as ocorrências de furto e de roubo, o Centro é o bairro com mais veículos levados. Destaque também para o segundo lugar em 2013: bairro não identificado. Este ano 12 localidades não tiveram nenhuma ocorrência, enquanto ano passado foram 15.

Furto e roubo

A seguir dois gráficos de dispersão. O primeiro relaciona as ocorrências de furto e de roubo de veículos no 1º bimestre de 2013 com a renda per capita de cada bairro de Fortaleza. O segundo, por sua vez, utiliza os homicídios em janeiro e fevereiro deste ano e os casos de roubo de veículos no mesmo período.

Gráficos de dispersão

Os furtos e roubos de veículos foram bem democráticos nos dois primeiros meses de 2013. Nenhuma Regional teve mais de 20% das ocorrências (veja o mapa os limites de cada Regional).

Furto e roubo nas Regionais

Apreensão de drogas em Fortaleza cresce 70,8% no 1º bimestre de 2013

O total de drogas apreendidas em Fortaleza em janeiro e fevereiro de 2013 é 70,8% superior em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira (27) pela SSPDS, foram 151,2 quilos de drogas apreendidas este ano ante 88,5 quilos nos dois primeiros meses de 2012. O gráfico abaixo discrimina o valor apreendido de cada droga e compara com o ano passado.

Drogas apreendidas no 1º bimestre de 2013

Esse valor destoante da maconha deve-se a uma ação policial realizada em 15 de fevereiro. Um casal foi preso com 112 quilos da droga. Ou seja, apenas essa apreensão representa 74% do total de drogas apreendidas no bimestre.

Quando comparamos os bairros com maior volume de droga apreendida no primeiro bimestre, percebemos que não há um padrão. Nenhum dos dez bairros com maiores apreensões em 2012 aparece entre os “dez mais” de 2013.

Drogas por bairro no 1º bimestre

Mesmo quando detalhamos as apreensões por tipo de droga, poucas localidades aparecem mais de uma vez. Em 2013, Mondubim, Jangurussu/Conj. Palmeiras e Parque Santa Maria aparecem no top 5 de mais de uma categoria. Em 2012, por sua vez, nenhum bairro conseguiu a façanha.

Detalhe das drogas apreendidas por bairro

Para fechar, um panorama do montante de drogas apreendidas por Regional. Enquanto não aprendo a colocar essa informação em um mapa, fica assim. Para visualizar melhor, veja o mapa os limites de cada Regional.

Drogas apreendidas por Regional

Total de vítimas de homicídio sobe 12,9% no 1º bimestre em Fortaleza

O número de vítimas de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) em Fortaleza cresceu 12,9% no primeiro bimestre de 2013 em comparação com ao mesmo período do ano passado. De acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira (27) pela SSPDS, foram 305 mortos este ano ante 270 nos dois primeiros meses de 2012. No gráfico abaixo, uma comparação dos bairros com mais vítimas em 2012 e 2013. Barra do Ceará e Bom Jardim seguem, respectivamente, em primeiro e segundo lugar.

Comparação dos bairros com mais vítimas em 2012 e 2013.

As Regionais V e VI concentraram 44,9% dos homicídios dolosos da cidade neste 1º bimestre. Apenas a Regional VI registrou queda em comparação com o mesmo período do ano passado. O número de vítimas no Centro – não pertence a nenhuma Regional – mais do que triplicou. Para visualizar melhor, veja o mapa os limites de cada Regional.

Mortes por Regional

“A visualização de dados foi a melhor coisa que aconteceu para a infografia”

Semana passada, Pamplona recebeu a 21ª edição do Malofiej. A frase do título é de Jaime Serra, que abriu o evento. Ano passado ele foi eleito o infografista mais influente dos últimos 20 anos. Serra mostrou alguns dos seus trabalhos mais recentes (com visualização de dados) como Vida sexual de una pareja estable e Excéntricos.

Outra apresentação que teve como foco a visualização de dados foi a da Fernanda Viégas, que ressaltou a importância de mostrar os dados em toda sua glória e buscar sempre reduzir o tempo gasto pelo leitor para entender a proposta do gráfico. Viégas mostrou como funciona o Google+ Ripples, ferramenta que permite esquadrinhar o alcance de uma postagem na rede social, e o projeto Wind Map. Este último mapeia as correntes de vento nos Estados Unidos. Simples de entender e muito bonito.

O NYT foi o grande vencedor da 21ª edição do Malofiej, com sete ouros, um terço do total. No online, o jornal ainda recebeu várias pratas e bronzes. Um passeio. Mas assistindo à palestra do Graham Roberts percebemos que no online poucos estão no nível do jornal americano. Dentre os prêmios, Snow Fall levou o de formato mais inovador, Lolo Jones, cleared for takeoof o principal prêmio para a internet e o especial sobre Olimpíadas recebeu outro.

Quem também falou de infografia interativa foi Wilson Andrews, que apresentou os trabalhos realizados pelo Washington Post durante as eleições americanas de 2012; Stefanie Posavec, que deixou todo mundo boquiaberto com seus lindos infográficos feitos sem programação; e os holandeses Frederik Ruys e Jan Willem Tulp. Tulp mostrou os seus trabalhos recentes, destaque para o que traz a distribuição dos votos pelas cidades holandesas após as eleições de 2012. Ruys, por sua vez, explicou como foi a coleta dados e as soluções visuais encontradas para apresentá-las no programa “Nederland van Boven“.

Ceará tem 9 municípios entre os 200 mais violentos do Brasil

Semana passada foi divulgado o ‘Mapa da Violência 2013: Mortes Matadas por Armas de Fogo’. O estudo afirma que de cada três mortos por arma de fogo no Brasil, dois estão na faixa dos 15 a 29 anos. Para além dessa manchete, o relatório traz bastante informação.

A Folha de S. Paulo deu destaque ao fato de o Brasil ser o país com mais mortes por arma de fogo, dentre os 12 países mais populosos do mundo.

Brasil lidera ranking de mortes por arma de fogo

O Globo, por sua vez, fez um infográfico com o ranking da taxa de óbitos por arma de fogo a cada 100 mil habitantes, por UF.

taxa de óbitos por arma de fogo a cada 100 mil habitantes, por UF

A própria pesquisa traz um gráfico da taxa de óbitos, nas capitais, por arma de fogo a cada 100 mil habitantes.

Taxa de óbitos por arma de fogo, nas capitais, a cada 100 mil habitantes

O estudo enumera ainda as taxas médias entre 2008/2010 de óbitos por arma de fogo nos municípios com mais de 20.000 habitantes. Nenhum município cearense aparece entre os 100 primeiros, mas nove cidades constam entre 100-200. A partir dos dados do relatório, listei também as 11 localidades do estado com maiores taxas médias de óbitos por arma de fogo entre 2008/2010.

Ceará tem 9 municípios entre os 200 mais violentos do Brasil

3% da população mundial é migrante

Estados Unidos, Japão e Espanha são os locais mais procurados pelo emigrantes brasileiros. Portugueses, japoneses e italianos são os que mais migram para o Brasil. O Peoplemovin é um infográfico interativo que traz duas colunas, uma com a origem da migração; outra com o destino. Simples, informativo e lindo.

peoplemov