Data Journalism Handbook agora em português

Data Journalism Handbook agora em portuguêsApós a versão inglesa, russa, espanhola, francesa e georgiana, finalmente saiu a versão em português do The Data Journalism Handbook, o Manual de Jornalismo de Dados.

A edição traz novos capítulos escritos por Alberto Cairo, Claudio Weber Abramo, Gustavo Faleiros, José Roberto de Toledo, e Marcelo Träsel.

Via

Editor multimídia do NYT ministra curso online sobre motion graphics

Graham Roberts, editor multimídia e de gráficos do NYT, vai ministrar um curso online sobre motion graphics. Representando o NYT no último Malofiej (o ‘Oscar’ da infografia), Roberts saiu do evento com sete ouros, um terço do total. A seguir um dos trabalhos premiados.

Colocando em perspectiva os casos de homicídios dolosos em Fortaleza em 2013

Nos seis primeiros meses de 2013, Fortaleza registrou 982 homicídios dolosos (quando há a intenção de matar). Para colocar esses números em perspectiva, fui atrás dos dados das demais capitais do Brasil. O problema é que celeridade não é o forte das secretarias de Segurança dos estados. No Rio de Janeiro, só tem estatísticas até Maio; Bahia e Paraná não atualizam desde Março. Fora os que não disponibilizam dado nenhum: Acre, Rio Grande do Norte, Pará, Amapá, Sergipe, Roraima, Alagoas e Tocantins.

É possível comparar os casos de homicídios dolosos, mês a mês (de Janeiro a Junho), entre 11 capitais: Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Fortaleza, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, Recife, São Luís, São Paulo e Vitória. Como a proposta é olhar os números por mês, adicionei à lista Brasília e Rio de Janeiro (que tem dados até Maio), Salvador e Curitiba (que tem dados até Março). No infográfico percebemos que Fortaleza reina absoluta na primeira colocação.

Mas não é apenas em números absolutos que a capital cearense se destaca no ranking dos assassinatos. Quando comparamos a taxa de homicídios por 100 mil habitantes entre Janeiro e Junho de 2013, Fortaleza é vice-líder, colada no primeiro colocado (João Pessoa) e com bastante folga para o terceiro (São Luís). Nesse gráfico foram retirados Rio de Janeiro, Brasília, Salvador e Cuiabá porque não há dados dos seis primeiros meses do ano. Porto Velho, João Pessoa, Teresina e Manaus, que disponibilizam apenas o total de casos do semestre, foram adicionados.

http://s3.datawrapper.de/HMlZf/

Jornal argentino entre os vencedores do Data Journalism Awards 2013

O La Nación foi o vencedor na categoria Data-Driven Investigations Big Media no Data Journalism Awards 2013, o principal prêmio do jornalismo de dados do mundo. O jornal argentino ganhou o prêmio com uma reportagem sobre as despesas do Senado argentino entre 2004 e 2013.

O pessoal do Tableau criou um mapa interativo com todos os indicados e vencedores. O Brasil teve dois finalistas: Rede de Escândalos, da Veja, e InfoAmazônia, do jornalista Gustavo Faleiros. Veja a lista completa dos finalistas e dos vencedores.

DJA2013

Knight Center oferece curso gratuito sobre jornalismo de dados

O Knight Center abriu inscrições para um curso sobre jornalismo de dados. Gratuito, o curso terá seis semanas de duração e será ministrado em espanhol pela jornalista Sandra Crucianelli, que esteve no congresso da ABRAJI de 2012 falando sobre o assunto.

No fim do ano passado, também pelo Knight Center, fiz o curso Introdução à Infografia e à Visualização de Dados, com Alberto Cairo. O material disponibilizado era excelente (muitos vídeos e textos) e os debates nos fóruns intermináveis, mas sempre enriquecedores. Se este curso seguir na mesma linha será imperdível. No blog da Crucianelli há uma série de vídeos sobre jornalismo de dados. Segue o primeiro: