Morte ao Jornalismo de Dados, vida longa ao Jornalismo

Muito boa a frase final do Ezra Klein no vídeo promocional do lançamento do Google News Lab:

Saberemos que fizemos um bom trabalho quando as pessoas deixarem de usar este termo. Quando o Jornalismo de Dados for tão constante que será chamado apenas Jornalismo, como sempre foi e como sempre deve ser.

Vai na linha do que David Leonhardt diz no seu artigo Death to ‘Data Journalism’:

Data journalism, ultimately, has the same aim as ‘quote journalism’ and ‘anecdote journalism.’ They all aspire to be ‘fact journalism’ or, more eloquently, journalism.

Nada de novo, mas certas coisas é sempre bom recordar.

Ainda sobre Google e dados: o Google Trends foi recentemente reformulado e agora permite coletar dados em tempo real. Aguardo a versão repaginada do Fusion Tables para aposentar Tableau, Datawrapper e afins.

IDH 2010 de todos os municípios do Ceará

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgou nesta segunda-feira (29) o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) das cidades brasileiras. O IDHM vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano; quanto mais próximo de um, melhor. A seguir a classificação dos 184 municípios do Ceará em Educação, Renda, Longevidade e o IDHM geral, que leva em consideração as categorias anteriores. O Pnud classifica como “muito alto desenvolvimento humano” índices entre 0,8 e 1.

Fortaleza, Sobral, Crato, Eusébio e Juazeiro do Norte possuem, respectivamente, os melhores IDH do estado. Salitre, Granja, Potengi, Itatira e Araripe, os piores.

Fortaleza também aparece na primeira colocação no IDHM Educação. Não devemos comparar estudos, mas vale lembrar que 2012, Fortaleza ficou na penúltima colocação no Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica (Spaece Alfa). O Spaece Alfa verifica a qualidade do ensino nos municípios cearenses ao avaliar alunos do 2º e do 5º ano do ensino fundamental. A metodologia para calcular o IDHM leva em consideração alunos na escola, alunos nos anos finais do fundamental, pessoas com fundamental completo e com médio completo.

A expectativa de vida é considerada “muito alta” em oito municípios cearenses: Sobral, Fortaleza, Crato, Barbalha, Juazeiro do Norte, Caucaia, Iguatu e Limoeiro do Norte.

Fortaleza, Eusébio, Crato, Sobral e Juazeiro do Norte possuem as melhores renda per capita. Choró, Moraújo, Gtanja, Salitre e Croatá, as piores.

Homicídios crescem 26% em Fortaleza nos primeiros 5 meses de 2013

O número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) em Fortaleza cresceu 26% nos cinco primeiros meses de 2013 em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os dados divulgados nesta SSPDS nesta segunda-feira (8), foram 818 mortos este ano, ante 649 nos cinco primeiros meses de 2012. Em Maio foram 156 mortes, um aumento de 9,85% em comparação com Maio de 2012, que registrou 142 assassinatos.

Jangurussu e Barra do Ceará são os bairros que mais registraram mortes este ano, 29 homicídios cada um. Quando calculamos os locais mais violentos por mil habitantes, todavia, nenhum dos dois aparece. Proporcionalmente, Pedras foi o bairro mais violento de Fortaleza nestes cinco primeiros meses de 2013.

Dashboard 1

As regionais V e VI concentraram 49% dos homicídios este ano. A Regional IV registrou a menor taxa de assassinatos por mil habitantes, 0,19.

Regionais

Fortaleza entre as 5 capitais com menor variação no preço da tarifa do ônibus nos últimos 19 anos

A passagem de ônibus em Fortaleza aumentou 450% nos últimos 19 anos, o que coloca a capital do Ceará como a quarta do Brasil com o menor crescimento no período. Brasília, Recife, São Luís e Belo Horizonte completam a lista. De acordo com o estudo Evolução das Tarifas de Ônibus Urbanos 1994 a 2003, do Ministério das Cidades, em Julho de 1994 a tarifa em Fortaleza era R$ 0,40. Atualmente, é R$ 2,20.

Como mais de 10 capitais anunciaram redução no preço da passagem desde Junho, os valores utilizados foram os de antes da redução. A fonte foi o G1. Belo Horizonte, Recife e Brasília possuem tarifas com valores diferentes dependendo do destino, usamos os valores mais baixos.

Uma passagem desse estudo de 2004:

As tarifas praticadas atualmente, são consideradas elevadas pelo usuário, e têm sido responsável pela crescente exclusão de milhares de cidadãos dos serviços de transporte público coletivo oferecidos nas cidades, e pelo aumento da “marcha a pé” por motivo de trabalho nos grandes centros urbanos. O alto valor das tarifas tem sido responsável também pelo surgimento de novos problemas sociais como os “desabrigados com teto”, trabalhadores sem o direito de ir e vir por falta de dinheiro para pagar a passagem.

Semana passada o Ipea lançou uma nota técnica sobre a tarifação do transporte público urbano. De acordo com o relatório, as tarifas de ônibus subiram mais do que os custos de carros e motos entre 2000 e 2012. A fuga dos passageiros e a alta dos insumos é aponta como razões para a subida no preço da passagem:

Pelo lado dos custos observa-se uma elevação real dos principais insumos do setor (principalmente o diesel), enquanto pelo lado da demanda observa-se que o volume de passageiros pagantes caiu bastante em relação ao final do século passado. A conjunção desses dois fatores — elevação dos custos e redução dos níveis de passageiros pagantes — provocou a elevação do preço das tarifas em termos reais.

Há na nota técnica uma evolução da tarifa do ônibus e da inflação entre 2000 e 2012 em 11 capitais. Ao lado de Brasília, Fortaleza é uma das duas únicas capitais em que a variação do valor da passagem não ultrapassou o da inflação. Infelizmente não achei os dados brutos, por isso reproduzo a imagem que vem no estudo.

Evolução da tarifa de ônibus

Guia de sobrevivência para infográficos

A fala Gregor Aisch é um tanto vacilante nesta apresentação, mas as dicas são precisas. A explanação é dividida em três tópicos: gráfico, cor e mapa. Há um segundo vídeo em que Gregor Aisch apresenta 3 ferramentas: Datawrapper – que somos fervorosos usuários -; QGIS – que cria mapas (não conheço) -; e o Tableau Public – que também usamos regularmente.

Os slides.

Via

Apreensão de maconha cresce 1008% nos quatro primeiros meses do ano em Fortaleza

Entre Janeiro e Abril deste ano foram apreendidos mais de 900 kg de maconha em Fortaleza. O valor representa um crescimento de 1008%, uma vez que em 2012, no mesmo período, a polícia tinha apreendido parcos 81 kg. De acordo com os dados da SSPDS, 929 kg de drogas foram apreendidos no 1º quadrimestre de 2013, enquanto que no mesmo período do ano passado esse valor foi de 119 kg. Um aumento de 675%.

Uma apreensão de mais de 650 kg de maconha em Março no bairro Guajeru, descrita pela polícia como a maior da história do Ceará, ajuda a explicar a discrepância dos gráficos a seguir. Quando comparamos, por exemplo, o valor apreendido de cada droga, observamos que os números da cocaína e do crack caíram. Dessa forma, a maconha representou impressionantes 97% das apreensões até Abril deste ano.

Dashboard 1

A Regional VI, onde fica localizado o Guajeru, respondeu por 72% das apreensões neste 1º quadrimestre do ano.

Dashboard 1

Quando olhamos os números de cada bairro, Guajeru representou 70% das apreensões. Em um distante segundo lugar, a Parquelândia aparece com 12%. A Aldeota fecha o pódio com 10% das apreensões de drogas nos 4 primeiros meses de 2013. Ou seja, os três bairros concentraram 92% das apreensões.

Bairros com mais apreensões no 1º quadrimestre

Para fechar, os campeões em cada categoria de apreensão. Destaque para a Aldeota, o Jangurussu e o Guajeru, que aparecem, cada um, em duas categorias no Top 5.

Top 5: os campeões em cada categoria