Raio-X dos cartéis de drogas no México

NarcoData é um projeto do Animal Político e do Poderopedia que procura identificar os principais atores do crime organizado no México nos últimos 40 anos. O conteúdo será publicado em capítulos. No primeiro, Sete presidentes, poucos resultados: 40 anos de expansão do crime organizado, uma linha do tempo ajuda a perceber como os cartéis de drogas evoluíram nas últimas décadas. A visualização é acompanhada por um vídeo que contextualiza os dados.

Linha do tempo dos cartéis

O segundo capítulo, Com Peña Nieto, ‘El Chapo’ e Jalisco Nueva Generación dominam o comércio das drogas foca na inoperância do atual presidente mexicano Peña Nieto perante a expansão dos novos cartéis. Não há visualização interativa, mas tudo indica que elas estarão de volta nos cinco capítulos que ainda faltam.

Próximamente

Deputados federais eleitos pelo Ceará gastaram em média 9 vezes mais do que não eleitos

Os 22 representantes do Ceará na Câmara Federal gastaram juntos R$ 22,2 milhões nas Eleições 2014, cerca de R$ 7,45 por voto. Os candidatos derrotados gastaram, ao todo, R$ 12 milhões. Os eleitos gastaram, em média, 9 vezes mais que os não eleitos. Ainda assim, 4 candidatos não eleitos tiveram despesas superiores a R$ 1 milhão: Inácio Arruda (PCdoB), Paulo Henrique Lustosa (PP), Mauro Benevides (PMDB) e Eugênio Rabelo (PP).

Entre os eleitos, Danilo Forte (PMDB) foi o que teve mais despesas, R$ 2,4 milhões; Cabo Sabino (PR) foi o que menos gastou, R$ 122 mil. Veja a lista completa:

Gastos de campanha dos deputados federais eleitos no Ceará

Entre os eleitos, Balman (PROS) foi o deputado que teve o custo do voto mais alto, gastou R$ 25,93 por voto. Na outra ponta, novamente o Cabo Sabino, com o custo de R$ 1,01 por voto.

Custo do voto entre os deputados federais eleitos no Ceará

Entre os candidatos não eleitos, Inácio Arruda (PCdoB) foi o que teve a campanha mais cara: R$ 1,9 milhão. Sandra Nogueira (PP), por sua vez, gastou R$ 74,96 por voto, o valor mais alto entre os candidatos a deputado federal. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

Candidatos não eleitos

Em valores brutos, os candidatos do PROS foram os que tiveram mais despesas. O partido teve 9 candidatos. O PC do B, que aparece em 3º na lista, teve 3 candidatos para deputado federal.

Despesas dos deputados fedeiras nas Eleições 2014 por partido

De acordo com o TSE, 19 candidatos apresentaram a prestação de contas sem lançamentos de despesas e outros 34 não entregaram a prestação de contas à Justiça Eleitoral. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

53 candidatos não apresentaram os gastos da campanha

A incrível jornada partidária de Ciro Gomes

http://embed.verite.co/timeline/?source=0ArBOGTKXFiJWdDgzYXYtekd4eFE5alpIQmp1azhucXc&font=PlayfairDisplay-Muli&maptype=toner&lang=pt-br&height=650

Ciro Gomes decidiu que o seu novo partido será o Partido Republicano da Ordem Social (Pros). Em 2013, Ciro Gomes completa 31 anos de vida pública. A data marca a 5ª mudança de partido do político. Acima um resumo da epopeia partidária de Ciro. Abaixo, uma entrevista de 2011 onde ele fala sobre o périplo pelos partidos brasileiros:

http://player.mais.uol.com.br/embed_v2.swf?mediaId=12283886&p=related

Fortaleza não aparece no top 10 das cidades mais violentas do Ceará

http://cf.datawrapper.de/LqcYm/1/

Nos oito primeiros meses de 2013, Itaitinga registrou 45 assassinatos, o que representa uma taxa de 1,25 homicídios por mil habitantes. A maior taxa do Ceará. Fortaleza, com seus 1254 homicídios, fica na 14ª posição, com uma taxa de 0.51 homicídios. Abaixo, um mapa feito pelo Ernesto Molinas com a taxa de homicídios de município cearense. 32 cidades não registraram assassinatos. Salta aos olhos os altos níveis de violência no Baixo Jaguaribe e baixos índices do litoral de Camocim e Acaraú.

http://www.arcgis.com/home/webmap/templates/OnePane/basicviewer/embed.html?webmap=5f0093fe54bf486ca71b63d5bc65f760&gcsextent=-44.7081,-8.7334,-33.2164,-2.0873&displayslider=true&displaylegend=true&displaydetails=true&displaysearch=true
Visualizar Mapa Grande

Em valores absolutos, Fortaleza aparece soberana em primeiro lugar, com uma média de 5 homicídios por dia em 2013 e com sete vezes mais homicídios do que o segundo colocado.

http://cf.datawrapper.de/HU7i5/1/

Polêmicas do governo Cid Gomes (2006-2014)

http://embed.verite.co/timeline/?source=0ArBOGTKXFiJWdFhuenJwUElfME9tTExHMVpNdThuM1E&font=Bevan-PotanoSans&maptype=toner&lang=pt-br&height=650

A linha do tempo acima busca organizar as polêmicas e denúncias que ocorreram nos oito anos do governo de Cid Gomes. Evidentemente está faltando muita coisa e o mandato do governador ainda não acabou. A ideia é ficar sempre atualizando. Caso queira colaborar com algum fato que não está presente, por favor, deixe um comentário ou mande um email para iloaguiar@gmail.com.

Colocando em perspectiva os casos de homicídios dolosos em Fortaleza em 2013

Nos seis primeiros meses de 2013, Fortaleza registrou 982 homicídios dolosos (quando há a intenção de matar). Para colocar esses números em perspectiva, fui atrás dos dados das demais capitais do Brasil. O problema é que celeridade não é o forte das secretarias de Segurança dos estados. No Rio de Janeiro, só tem estatísticas até Maio; Bahia e Paraná não atualizam desde Março. Fora os que não disponibilizam dado nenhum: Acre, Rio Grande do Norte, Pará, Amapá, Sergipe, Roraima, Alagoas e Tocantins.

É possível comparar os casos de homicídios dolosos, mês a mês (de Janeiro a Junho), entre 11 capitais: Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Fortaleza, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, Recife, São Luís, São Paulo e Vitória. Como a proposta é olhar os números por mês, adicionei à lista Brasília e Rio de Janeiro (que tem dados até Maio), Salvador e Curitiba (que tem dados até Março). No infográfico percebemos que Fortaleza reina absoluta na primeira colocação.

Mas não é apenas em números absolutos que a capital cearense se destaca no ranking dos assassinatos. Quando comparamos a taxa de homicídios por 100 mil habitantes entre Janeiro e Junho de 2013, Fortaleza é vice-líder, colada no primeiro colocado (João Pessoa) e com bastante folga para o terceiro (São Luís). Nesse gráfico foram retirados Rio de Janeiro, Brasília, Salvador e Cuiabá porque não há dados dos seis primeiros meses do ano. Porto Velho, João Pessoa, Teresina e Manaus, que disponibilizam apenas o total de casos do semestre, foram adicionados.

http://s3.datawrapper.de/HMlZf/