Raio-X dos cartéis de drogas no México

NarcoData é um projeto do Animal Político e do Poderopedia que procura identificar os principais atores do crime organizado no México nos últimos 40 anos. O conteúdo será publicado em capítulos. No primeiro, Sete presidentes, poucos resultados: 40 anos de expansão do crime organizado, uma linha do tempo ajuda a perceber como os cartéis de drogas evoluíram nas últimas décadas. A visualização é acompanhada por um vídeo que contextualiza os dados.

Linha do tempo dos cartéis

O segundo capítulo, Com Peña Nieto, ‘El Chapo’ e Jalisco Nueva Generación dominam o comércio das drogas foca na inoperância do atual presidente mexicano Peña Nieto perante a expansão dos novos cartéis. Não há visualização interativa, mas tudo indica que elas estarão de volta nos cinco capítulos que ainda faltam.

Próximamente

Morte ao Jornalismo de Dados, vida longa ao Jornalismo

Muito boa a frase final do Ezra Klein no vídeo promocional do lançamento do Google News Lab:

Saberemos que fizemos um bom trabalho quando as pessoas deixarem de usar este termo. Quando o Jornalismo de Dados for tão constante que será chamado apenas Jornalismo, como sempre foi e como sempre deve ser.

Vai na linha do que David Leonhardt diz no seu artigo Death to ‘Data Journalism’:

Data journalism, ultimately, has the same aim as ‘quote journalism’ and ‘anecdote journalism.’ They all aspire to be ‘fact journalism’ or, more eloquently, journalism.

Nada de novo, mas certas coisas é sempre bom recordar.

Ainda sobre Google e dados: o Google Trends foi recentemente reformulado e agora permite coletar dados em tempo real. Aguardo a versão repaginada do Fusion Tables para aposentar Tableau, Datawrapper e afins.

11 livros sobre Jornalismo de Dados

CapasRecentemente o blog do infogr.am publicou uma lista de 9 livros essenciais sobre jornalismo de dados. São eles: Manual de Jornalismo de Dados, The Functional Art, Scraping for Journalists, Facts are Sacred, Finding Stories in Spreadsheets, The Information Capital, CIJ Data Journalism Handbook, Data + Design e Knowledge is beautiful. Não conheço todos, mas recomendo vividamente os 4 primeiros. E sugiro mais dois: Interactive Data Visualization for the Web e O Sinal e o Ruído.

Todos esses livros são de 2012 para cá, mas como o jornalismo de dados não surgiu em 2010 indico também esta linha do tempo que Henk van Ess criou sobre o tema com clássicos como The New Precision Journalism e Numbers in the Newsroom.

Via

Editor multimídia do NYT ministra curso online sobre motion graphics

Graham Roberts, editor multimídia e de gráficos do NYT, vai ministrar um curso online sobre motion graphics. Representando o NYT no último Malofiej (o ‘Oscar’ da infografia), Roberts saiu do evento com sete ouros, um terço do total. A seguir um dos trabalhos premiados.

Jornal argentino entre os vencedores do Data Journalism Awards 2013

O La Nación foi o vencedor na categoria Data-Driven Investigations Big Media no Data Journalism Awards 2013, o principal prêmio do jornalismo de dados do mundo. O jornal argentino ganhou o prêmio com uma reportagem sobre as despesas do Senado argentino entre 2004 e 2013.

O pessoal do Tableau criou um mapa interativo com todos os indicados e vencedores. O Brasil teve dois finalistas: Rede de Escândalos, da Veja, e InfoAmazônia, do jornalista Gustavo Faleiros. Veja a lista completa dos finalistas e dos vencedores.