Dear Data

Giorgia Lupi e Stefanie Posavec trocaram cartas com visualizações de dados pessoais durante um ano. O resultado virou livro e é possível dar uma vista de olhos em cada uma das correspondências aqui. O projeto lembrou-me o Feltron Report, relatórios anuais em que, durante 10 anos, Nicholas Felton catalogou os seu hábitos e experiências.

Raio-X dos cartéis de drogas no México

NarcoData é um projeto do Animal Político e do Poderopedia que procura identificar os principais atores do crime organizado no México nos últimos 40 anos. O conteúdo será publicado em capítulos. No primeiro, Sete presidentes, poucos resultados: 40 anos de expansão do crime organizado, uma linha do tempo ajuda a perceber como os cartéis de drogas evoluíram nas últimas décadas. A visualização é acompanhada por um vídeo que contextualiza os dados.

Linha do tempo dos cartéis

O segundo capítulo, Com Peña Nieto, ‘El Chapo’ e Jalisco Nueva Generación dominam o comércio das drogas foca na inoperância do atual presidente mexicano Peña Nieto perante a expansão dos novos cartéis. Não há visualização interativa, mas tudo indica que elas estarão de volta nos cinco capítulos que ainda faltam.

Próximamente

EJC abre inscrições para curso gratuito sobre jornalismo de dados

Depois do Knight Center, agora é a vez do Centro Europeu de Jornalismo abrir inscrições para um curso sobre jornalismo de dados: Doing Journalism with Data: First Steps, Skills and Tools. Gratuito, o curso terá 5 módulos e começa em 2014. Simon Rogers, Paul Bradshaw, Nicolas Kayser-Bril, Steve Doig e Alberto Cairo serão os instrutores.

Editor multimídia do NYT ministra curso online sobre motion graphics

Graham Roberts, editor multimídia e de gráficos do NYT, vai ministrar um curso online sobre motion graphics. Representando o NYT no último Malofiej (o ‘Oscar’ da infografia), Roberts saiu do evento com sete ouros, um terço do total. A seguir um dos trabalhos premiados.

Homicídios crescem 26% em Fortaleza nos primeiros 5 meses de 2013

O número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) em Fortaleza cresceu 26% nos cinco primeiros meses de 2013 em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com os dados divulgados nesta SSPDS nesta segunda-feira (8), foram 818 mortos este ano, ante 649 nos cinco primeiros meses de 2012. Em Maio foram 156 mortes, um aumento de 9,85% em comparação com Maio de 2012, que registrou 142 assassinatos.

http://s3.datawrapper.de/278pL/

Jangurussu e Barra do Ceará são os bairros que mais registraram mortes este ano, 29 homicídios cada um. Quando calculamos os locais mais violentos por mil habitantes, todavia, nenhum dos dois aparece. Proporcionalmente, Pedras foi o bairro mais violento de Fortaleza nestes cinco primeiros meses de 2013.

Dashboard 1

As regionais V e VI concentraram 49% dos homicídios este ano. A Regional IV registrou a menor taxa de assassinatos por mil habitantes, 0,19.

Regionais