Deputados federais eleitos pelo Ceará gastaram em média 9 vezes mais do que não eleitos

Os 22 representantes do Ceará na Câmara Federal gastaram juntos R$ 22,2 milhões nas Eleições 2014, cerca de R$ 7,45 por voto. Os candidatos derrotados gastaram, ao todo, R$ 12 milhões. Os eleitos gastaram, em média, 9 vezes mais que os não eleitos. Ainda assim, 4 candidatos não eleitos tiveram despesas superiores a R$ 1 milhão: Inácio Arruda (PCdoB), Paulo Henrique Lustosa (PP), Mauro Benevides (PMDB) e Eugênio Rabelo (PP).

Entre os eleitos, Danilo Forte (PMDB) foi o que teve mais despesas, R$ 2,4 milhões; Cabo Sabino (PR) foi o que menos gastou, R$ 122 mil. Veja a lista completa:

Gastos de campanha dos deputados federais eleitos no Ceará

Entre os eleitos, Balman (PROS) foi o deputado que teve o custo do voto mais alto, gastou R$ 25,93 por voto. Na outra ponta, novamente o Cabo Sabino, com o custo de R$ 1,01 por voto.

Custo do voto entre os deputados federais eleitos no Ceará

Entre os candidatos não eleitos, Inácio Arruda (PCdoB) foi o que teve a campanha mais cara: R$ 1,9 milhão. Sandra Nogueira (PP), por sua vez, gastou R$ 74,96 por voto, o valor mais alto entre os candidatos a deputado federal. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

Candidatos não eleitos

Em valores brutos, os candidatos do PROS foram os que tiveram mais despesas. O partido teve 9 candidatos. O PC do B, que aparece em 3º na lista, teve 3 candidatos para deputado federal.

Despesas dos deputados fedeiras nas Eleições 2014 por partido

De acordo com o TSE, 19 candidatos apresentaram a prestação de contas sem lançamentos de despesas e outros 34 não entregaram a prestação de contas à Justiça Eleitoral. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

53 candidatos não apresentaram os gastos da campanha

Fortaleza não aparece no top 10 das cidades mais violentas do Ceará

http://cf.datawrapper.de/LqcYm/1/

Nos oito primeiros meses de 2013, Itaitinga registrou 45 assassinatos, o que representa uma taxa de 1,25 homicídios por mil habitantes. A maior taxa do Ceará. Fortaleza, com seus 1254 homicídios, fica na 14ª posição, com uma taxa de 0.51 homicídios. Abaixo, um mapa feito pelo Ernesto Molinas com a taxa de homicídios de município cearense. 32 cidades não registraram assassinatos. Salta aos olhos os altos níveis de violência no Baixo Jaguaribe e baixos índices do litoral de Camocim e Acaraú.

http://www.arcgis.com/home/webmap/templates/OnePane/basicviewer/embed.html?webmap=5f0093fe54bf486ca71b63d5bc65f760&gcsextent=-44.7081,-8.7334,-33.2164,-2.0873&displayslider=true&displaylegend=true&displaydetails=true&displaysearch=true
Visualizar Mapa Grande

Em valores absolutos, Fortaleza aparece soberana em primeiro lugar, com uma média de 5 homicídios por dia em 2013 e com sete vezes mais homicídios do que o segundo colocado.

http://cf.datawrapper.de/HU7i5/1/

Polêmicas do governo Cid Gomes (2006-2014)

http://embed.verite.co/timeline/?source=0ArBOGTKXFiJWdFhuenJwUElfME9tTExHMVpNdThuM1E&font=Bevan-PotanoSans&maptype=toner&lang=pt-br&height=650

A linha do tempo acima busca organizar as polêmicas e denúncias que ocorreram nos oito anos do governo de Cid Gomes. Evidentemente está faltando muita coisa e o mandato do governador ainda não acabou. A ideia é ficar sempre atualizando. Caso queira colaborar com algum fato que não está presente, por favor, deixe um comentário ou mande um email para iloaguiar@gmail.com.

Homicídios aumentam 20% no 1º semestre no Ceará

Os casos de homicídios subiram 20,91% no estado do Ceará no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (05) pela SSPDS.

Fortaleza registra 982 assassinatos no 1º semestre, uma média de 5,4 assassinatos por dia

Nos seis primeiros meses deste ano, foram registrados 2035 homicídios, o que representa uma média de 11,24 assassinatos por dia. Em igual período de 2012, foram 1683 casos. Somente em junho, foram 343 mortes, ante 281 no mesmo mês de 2012, um aumento de 22,06%.

http://s3.datawrapper.de/TIV1k/

Ceará tem a maior queda na mortalidade infantil do Brasil, aponta IBGE

A mortalidade infantil no Ceará caiu de 111,5 por mil nascidos vivos, em 1980, para 19,7 por mil, em 2010, o que representa queda de 82,33%. Esse número representa a maior queda na mortalidade infantil entre todas as Unidades da Federação, de acordo com os dados do Tábuas de Mortalidade 2010, divulgado nesta sexta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda cearense é superior à média nacional, de 75,8%. Não há dados referentes ao Tocantins.

http://s3.datawrapper.de/BY4iM/