Morte ao Jornalismo de Dados, vida longa ao Jornalismo

Muito boa a frase final do Ezra Klein no vídeo promocional do lançamento do Google News Lab:

Saberemos que fizemos um bom trabalho quando as pessoas deixarem de usar este termo. Quando o Jornalismo de Dados for tão constante que será chamado apenas Jornalismo, como sempre foi e como sempre deve ser.

Vai na linha do que David Leonhardt diz no seu artigo Death to ‘Data Journalism’:

Data journalism, ultimately, has the same aim as ‘quote journalism’ and ‘anecdote journalism.’ They all aspire to be ‘fact journalism’ or, more eloquently, journalism.

Nada de novo, mas certas coisas é sempre bom recordar.

Ainda sobre Google e dados: o Google Trends foi recentemente reformulado e agora permite coletar dados em tempo real. Aguardo a versão repaginada do Fusion Tables para aposentar Tableau, Datawrapper e afins.

11 livros sobre Jornalismo de Dados

CapasRecentemente o blog do infogr.am publicou uma lista de 9 livros essenciais sobre jornalismo de dados. São eles: Manual de Jornalismo de Dados, The Functional Art, Scraping for Journalists, Facts are Sacred, Finding Stories in Spreadsheets, The Information Capital, CIJ Data Journalism Handbook, Data + Design e Knowledge is beautiful. Não conheço todos, mas recomendo vividamente os 4 primeiros. E sugiro mais dois: Interactive Data Visualization for the Web e O Sinal e o Ruído.

Todos esses livros são de 2012 para cá, mas como o jornalismo de dados não surgiu em 2010 indico também esta linha do tempo que Henk van Ess criou sobre o tema com clássicos como The New Precision Journalism e Numbers in the Newsroom.

Via

Deputados federais eleitos pelo Ceará gastaram em média 9 vezes mais do que não eleitos

Os 22 representantes do Ceará na Câmara Federal gastaram juntos R$ 22,2 milhões nas Eleições 2014, cerca de R$ 7,45 por voto. Os candidatos derrotados gastaram, ao todo, R$ 12 milhões. Os eleitos gastaram, em média, 9 vezes mais que os não eleitos. Ainda assim, 4 candidatos não eleitos tiveram despesas superiores a R$ 1 milhão: Inácio Arruda (PCdoB), Paulo Henrique Lustosa (PP), Mauro Benevides (PMDB) e Eugênio Rabelo (PP).

Entre os eleitos, Danilo Forte (PMDB) foi o que teve mais despesas, R$ 2,4 milhões; Cabo Sabino (PR) foi o que menos gastou, R$ 122 mil. Veja a lista completa:

Gastos de campanha dos deputados federais eleitos no Ceará

Entre os eleitos, Balman (PROS) foi o deputado que teve o custo do voto mais alto, gastou R$ 25,93 por voto. Na outra ponta, novamente o Cabo Sabino, com o custo de R$ 1,01 por voto.

Custo do voto entre os deputados federais eleitos no Ceará

Entre os candidatos não eleitos, Inácio Arruda (PCdoB) foi o que teve a campanha mais cara: R$ 1,9 milhão. Sandra Nogueira (PP), por sua vez, gastou R$ 74,96 por voto, o valor mais alto entre os candidatos a deputado federal. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

Candidatos não eleitos

Em valores brutos, os candidatos do PROS foram os que tiveram mais despesas. O partido teve 9 candidatos. O PC do B, que aparece em 3º na lista, teve 3 candidatos para deputado federal.

Despesas dos deputados fedeiras nas Eleições 2014 por partido

De acordo com o TSE, 19 candidatos apresentaram a prestação de contas sem lançamentos de despesas e outros 34 não entregaram a prestação de contas à Justiça Eleitoral. Clique na imagem para visualizar a lista completa.

53 candidatos não apresentaram os gastos da campanha

Data Journalism Handbook agora em português

Data Journalism Handbook agora em portuguêsApós a versão inglesa, russa, espanhola, francesa e georgiana, finalmente saiu a versão em português do The Data Journalism Handbook, o Manual de Jornalismo de Dados.

A edição traz novos capítulos escritos por Alberto Cairo, Claudio Weber Abramo, Gustavo Faleiros, José Roberto de Toledo, e Marcelo Träsel.

Via

EJC abre inscrições para curso gratuito sobre jornalismo de dados

Depois do Knight Center, agora é a vez do Centro Europeu de Jornalismo abrir inscrições para um curso sobre jornalismo de dados: Doing Journalism with Data: First Steps, Skills and Tools. Gratuito, o curso terá 5 módulos e começa em 2014. Simon Rogers, Paul Bradshaw, Nicolas Kayser-Bril, Steve Doig e Alberto Cairo serão os instrutores.

A incrível jornada partidária de Ciro Gomes

http://embed.verite.co/timeline/?source=0ArBOGTKXFiJWdDgzYXYtekd4eFE5alpIQmp1azhucXc&font=PlayfairDisplay-Muli&maptype=toner&lang=pt-br&height=650

Ciro Gomes decidiu que o seu novo partido será o Partido Republicano da Ordem Social (Pros). Em 2013, Ciro Gomes completa 31 anos de vida pública. A data marca a 5ª mudança de partido do político. Acima um resumo da epopeia partidária de Ciro. Abaixo, uma entrevista de 2011 onde ele fala sobre o périplo pelos partidos brasileiros:

http://player.mais.uol.com.br/embed_v2.swf?mediaId=12283886&p=related